sábado, 28 de novembro de 2009

Águas De Março


É pau é pedra
É o fim do caminho
É um resto de toco
É um pouco sozinho...

É um caco de vidro
É a vida é o sol
É a noite é a morte
É um laço é o anzol...

É peroba do campo
É o nó da madeira
Caingá, Candeia
É o matita-pereira...

É madeira de vento
Tombo da ribanceira
É um mistério profundo
É o queira ou não queira...

É o vento ventando
É o fim da ladeira
É a viga é o vão
Festa da Cumeeira...

É a chuva chovendo
É conversa ribeira
Das águas de março
É o fim da canseira...

É o pé é o chão
É a marcha estradeira
Passarinho na mão
Pedra de atiradeira...

É uma ave no céu
É uma ave no chão
É um regato é uma fonte
É um pedaço de pão...

É o fundo do poço
É o fim do caminho
No rosto um desgosto
É um pouco sozinho...

É um estrepe é um prego
É uma ponta é um ponto
É um pingo pingando
É uma conta é um conto...

É um peixe é um gesto
É uma prata brilhando
É a luz da manhã
É o tijolo chegando...

É a lenha é o dia
É o fim da picada
É a garrafa de cana
Estilhaço na estrada...

É o projeto da casa
É o corpo na cama
É o carro enguiçado
É a lama é a lama...

É um passo é uma ponte
É um sapo é uma rã
É um resto de mato
Na luz da manhã...

São as águas de março
Fechando o verão
E a promessa de vida
No teu coração...

É uma cobra é um pau
É João é José
É um espinho na mão
É um corte no pé...

São as águas de março
Fechando o verão
É a promessa de vida
No teu coração...

É pau é pedra
É o fim do caminho
É um resto de toco
É um pouco sozinho...

É um passo é uma ponte
É um sapo é uma rã
É um belo horizonte
É uma febre terçã...

São as águas de março
Fechando o verão
É a promessa de vida
No teu coração...

-Pau, -Edra, -Im, -Inho
-Esto, -Oco, -Ouco, -Inho
-Aco, -Idro, -Ida, -Ol
-Oite, -Orte, -Aço, -Zol...

São as águas de março
Fechando o verão
É a promessa de vida
No teu coração...

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Música Para Vida!


Música que me faz feliz ao lembrar dos momentos, Música que ao lembrar dos momentos me trás saudades do tempos e faz sofrer em meu peito, Música que me faz sorrir e chorar ao me emocionar.
Música para todos os gostos, crenças e raças, Música não só para os ouvidos mas para acalmar a alma, Música para sacudir o esqueleto.
Música para coração, Música para verão, Música para solidão, Música para inverno, Música que vai e Música que vem.
Música que te traz saudade, Música para liberdade, Música que te faz parar e também voar.
Música para doce infância, Música para o trabalho, Música para juventude, Música para sucesso, Música para velhice, Música para fim.
Uma música para dedicar, sentir, ouvir e amar, resumindo música para vida!

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Fotografe e Perceba!


A fotografia é totalmente real enquanto lembrança para os retratados, que a partir dela rememoram suas próprias lembranças daquele acontecido, que são também reais enquanto fato vivido a apreendido, e são também uma imagem artística para um espectador que não sabe nada sobre ela.
A fotografia é a visão do artista ou amador sobre o bem é o mal que nos acomete o momento, ela pode ser despretensiosa sobre a vida e mostrar suas alegrias e medos, mas é fundamental para lembrança e podemos até mencionar para herança que deixamos.
Demonstra toda simplicidade e naturalidade, mas também esconde nossos anseios em poses forçadas e inventadas, ela não é a única memória, mas um resumo de uma viagem, de um amor, de uma vida ou um simples momento.
É um retrato em preto branco que demonstra sua beleza nos detalhes de suas sombras, ou um flash instantâneo que nos surpreende em nossa espontaneidade e paixão.
É a mais pura e verdadeira lembrança do que foi no passado, mas nunca vai ser a previsão do futuro. Nosso olho de detalhes sobre alguns retalhos que ainda nos deixam dúvidas e mensagens entre os olhos e a verdade.
Elas refletem o encanto das cores de uma borboleta ao mesmo tempo que explodem a indignação e vergonha da violência no mundo, registram vitórias e grandes acontecimentos, mas também um simples é único por do sol daquele dia.
Ficamos entusiasmados e apaixonados pelos rostos exuberantes e também nos sensibilizamos pelas lágrimas que escorrem a face de um desconhecido.
Fica mais fácil perceber a riqueza dos detalhes e cores, porém algumas coisas ainda não perceptíveis, como o falso sorriso que estampamos nelas quando somos obrigados a posar.
Registrado o fato jamais será esquecido, visto a beleza que arte nos proporciona no apertar do flash, nossas visões e percepções manifestadas por essa pequena lente, ganham dimensões e razões na busca da imagem por nossas expressões em busca das origens esquecidas.
Traduzir a realidade através da imagem! Para isso existem técnicas, só que sem a alma e o entendimento necessário do que se busca, nunca será o suficiente para conseguir retratar, registrar o que realmente estamos sentindo.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

O Substituto


Iríamos ao cinema hoje como é de praxe todas as segundas-feiras à noite de ócio que nos atordoa, porém como ocorreu um probleminha nas agendas de um todos resolverão ver o lançamento de 2012 na próxima semana, mas o filme que assistimos semana passada me fez refletir um pouco sobre a vida.
Não que seja uma obra prima, muito pelo contrário, pelo meu gosto pessoal, não sou formado nem especializado em crítica para cinema, veja bem, minha opinião pessoal é um filme até chato, porém com um assunto de certa forma instigante.
O substituto, a história é baseada na evolução da espécie e as formas que os humanos encontrariam de se proteger das mazelas do dia-a-dia mas sem perder os prazeres que estão habituados a realizar.
Fiquei pensando na possibilidade de ter um substituto e nunca envelhecer, ou não demonstrar minhas insatisfações com os acontecimentos, sempre ter uma aparência boa, bem humorado e sentir as sensações maravilhosas de passeios, viagens, conversas e descontração que tanto me fazem gostar da vida.
Será mesmo que poderíamos ter uma vida assim? Será que não é muito obsoleto querer viver sobre a proteção de uma bolha e continuar a sentir os prazeres da vida? Será que o risco e a ansiedade das ocorrências sentidas na pela não são bem mais verdadeiras?
Perguntas e mais perguntas, acredito que a vida seja muito mais que se esconder em uma imagem bela e sorridente, muito mais que se esconder do perigo, muito maior que proteger, a vida é um risco, onde nem sempre as coisas acontecem como o planejado, porém não é injusta e sim apenas uma colheita dos frutos que plantamos, afinal nada ocorre fora daquilo que esta programado.
Risco este que nos faz verdadeiros, nos faz acreditar nas possibilidades que ainda existem e faz com que lutemos, não contra os outros, mas contra nós mesmo que muitas vezes limitamos nossa área de atuação para nos isolar em uma bolha com mundo obscuro em volta dela.
Não acredito na possibilidade de ficar em casa e controlar minhas sensações e movimentos por um substituto, mostrar as minhas vontades e verdades de frente, assistam o filme, não é dos melhores, porém o assunto é discutível, mas devemos sempre lembrar que ninguém é menor que seus sonhos, basta buscar nossos ideais e vivenciar nossas escolhas.


Rodrigo Bertolazzi
16/11/2009

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Apagou Geral


Não, não vou falar a respeito do apagão de ontem, que deixou milhões de brasileiros nas ruas impedidos de chegar em seus lares depois de um dia estarrecido e tortuoso de trabalho, nem dos prejuízos financeiros causados por tal apagão, não tenho conhecimento político e nem informação para conjecturas e análises mais profundas.
O apagão é maternal, mundial e consensual. Digo isso porque pude perceber que após todos assustarem e questionarem o que aconteceu com nossas luzes dentro de casa, o primeiro instinto e sair para fora de suas casas e rever vizinhos e conhecidos que a tempos não eram vistos.
Em um instante, aqueles que nem bom dia recebiam, agora entram em contato um com os outros para poder saber o que aconteceu, veja bem, em um mundo que as pessoas se relacionam pelo MSN e face book, nada mais comum (ou melhor incomum)que todos passarem despercebidos uns pelos outros.
Ontem vivemos o caos, mas aqueles que por ventura tiraram proveito do holocausto descobriram o quanto foi bom em voltar aos velhos tempos onde todos se reuniam e contavam histórias a respeito de seus dias e vidas. Não sei se me faço claro, mas o apagão tirou todos de dentro de casa, de frente de seus teclados gélidos e nefastos, para interagir de forma mais contundente com as pessoas que o rodeiam.
E digo isso com vergonha, pois desde que inventaram essas promoções de celulares, quando quero falar algo com meus irmão, primos e primas que residem ao lado ou em frente de minha casa, logo uso celular de forma mais impessoal.
Nos distanciamos de todos e apagamos geral, destruímos as formas mais contundentes de relacionar, as pessoas estão cada vez mais tecnológicas e menos sensitivas.
Tirando o lado ruim de toda história, esse apagão veio abrir um pouco nossos olhos e juntar mais nossas histórias.

PS. Pela amor de deus pessoal, já ouvi absurdos, mas já tem gente que acha que as olimpíadas devem ser canceladas em decorrência do apagão.

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Um Pouco da Sabedoria e Beleza de Vinícius de Moraes


Para melhorar um pouco as palavras do meu blog nada melhor que o mestre para embelezar as palavras e o sentido....

Ai, quem me dera

Ai quem me dera, terminasse a espera
E retornasse o canto simples e sem fim...
E ouvindo o canto se chorasse tanto
Que do mundo o pranto se estancasse enfim

Ai quem me dera percorrer estrelas
Ter nascido anjo e ver brotar a flor
Ai quem me dera uma manhã feliz
Ai quem me dera uma estação de amor

Ah! Se as pessoas se tornassem boas
E cantassem loas e tivessem paz
E pelas ruas se abraçassem nuas
E duas a duas fossem ser casais

Ai quem me dera ao som de madrigais
Ver todo mundo para sempre afins
E a liberdade nunca ser demais
E não haver mais solidão ruim

Ai quem me dera ouvir o nunca mais
Dizer que a vida vai ser sempre assim
E finda a espera ouvir na primavera
Alguem chamar por mim...

Vinícius de Moraes

"Procura-se um amigo para gostar dos mesmos gostos, que se comova quando
chamado de amigo. Que saiba conversar de coisas simples, de orvalhos, de
grandes chuvas e das recordações da infância.
Preciso de um amigo para não enlouquecer, para contar o que vi de belo e triste
durante o dia, dos anseios e das realizações, dos sonhos e da realidade.
Deve gostar de ruas desertas, de poças d´água e de caminhos molhados, de beira de estrada, de mato depois da chuva, de se deitar no capim. Preciso de um amigo que diga que vale a pena viver, não porque a vida é bela, mas porque já tenho um amigo.
Preciso de um amigo para parar de chorar. Para não viver debruçado no passado em busca de memórias perdidas.
Que bata nos ombros sorrindo e chorando, mas que me chame de amigo, para que eu tenha a consciência de que ainda vivo"

Vinícius de Moraes

E eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos! Até mesmo aqueles que não percebem o quanto são meus amigos e o quanto minha vida depende de suas existências…
A alguns deles não procuro, basta-me saber que eles existem. Esta mera condição me encoraja a seguir em frente pela vida.

Vinícius de Moraes

Sexo Delivery


Estou bastante reflexivo estes dias a respeito não só de minha carência, mas também com os demais que percebo a minha volta, digo isso sem saber se estou certo ou errado ou se há alguma lógica nessa minha linha de raciocínio.
O que vejo hoje é o fim do romantismo, felizes para sempre é algo imaginário e distante a cada segundo que se passa, só enxergamos casais felizes nas telas, superando as dificuldades e anseios sobre suas expectativa na ficção dos olhos, o casamento esta fadado ao fracasso, os namoros tem prazo de validade de no máximo dois a três anos, hoje esta até difícil de conseguir alguém para ficarmos sem compromisso, um ficante fixo por assim dizer.
Comparo isso tudo ao comportamento mercadológico atual, a concorrência esta cada vez maior não é verdade, hoje conseguimos encontrar o que quisermos e precisamos para nossas necessidades básicas por diversos preços e qualidade diferenciada conforme as suas possibilidades.
Pois é, a coisa tah preta. Sexo hoje é delivery, tudo muito vulgarizado e escancarado aos olhos de todos, não que eu seja pudico ou o cara mais certinho do mundo, muito pelo contrário tenho as minhas vontades e arrependimentos, mas ainda sou aquele que não gosta de ir pra cama com alguém antes de ao menos ter uma intimidade mínima, até para me sentir um pouco mais a vontade e fazer o que tenho vontade de fazer e satisfazer o que esperam de mim.
Porém devo dizer que as coisas não funcionam mais assim, as pessoas fazem sexo hoje em dia sem ao menos saber o nome do cidadão que se deitaram, homens e mulheres da meia idade estão abandonando seus casamentos para experimentar novidades, ao invés de tentarem com seus já amores de 30 anos atrás entrar nessa onda. Tenho amigos que dizem que se não fazer sexo no primeiro encontro nem se dão ao trabalho de ligar para um segundo, se dizem decididos, mas a maioria deles não teve um relacionamento por mais de dois ou três meses, não que eu seja contra isso, acho que a vida nos leva a ser assim.
O que eu quero dizer com tudo isso? Que em meio aos novas formas de comunicação onde fica mais fácil conhecer alguém, nós estamos cada vez mais nos distanciando de relações humanas, e isso não se reflete somente no quesito amor, casamento e namoro, mas nas relações de amizade, respeito e família.
Despertamos nossa vontade de fazer cada vez mais e mais e quando menos esperamos sentimos que fizemos menos que poderíamos fazer com um monte de pessoas, quando com uma só teríamos muito mais.
No inicio das baladas ninguém e de ninguém e todos tem orgulho de seus corpos sarados, roupas da moda e estilo solteiros convictos, na noite saímos aos montes com todos que aparecem, mas poucas vezes acordamos com alguém que gostaríamos de estar.
E complicado, ainda mais agora com Orkut, facebook, MSN e etc. pois mesmos com tantos meios de se comunicar poucas possibilidades você encontra de realmente satisfazer seus anseios, quem agradece cada vez mais são os psicanalistas e psicólogos que cada vez mais vêem expandir seus consultórios de pessoas que ainda não entendem o porquê de sua carência.
Na multidão no meio da festa onde lasers e gritinhos de uhu d+ demonstram satisfação e felicidade, percebo que a luz do dia cada vez mais mostra a verdade nas feições e mau humor das pessoas.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

A imensa alegria de servir


A imensa alegria de servir


Toda natureza é um desejo de serviço.
Serve a nuvem, serve o vento, serve o sulco.
Onde houver uma árvore para plantar,
planta-a tu;
onde houver um erro para corrigir,
corrige-o tu;
onde houver uma tarefa que todos recusem,
aceita-a tu.

Sê quem tira
a pedra do caminho,
o ódio dos corações
e as dificuldades dos problemas.

Há a alegria de ser sincero e de ser justo;
há, porém, mais do que isso,
a imensa alegria de servir.

Como seria triste o mundo
se tudo já estivesse feito,
se não houvesse uma roseira para plantar,
uma iniciativa para lutar!

Não te seduzam as obras fáceis.
É belo fazer tudo
que os outros se recusam a executar.

Não cometas, porém, o erro
de pensar que só tem merecimento executar
as grandes obras;
há pequenos préstimos que são bons serviços:
enfeitar uma mesa.
arrumar uns livros.
pentear uma criança.

Aquele é quem critica,
este é quem destrói;
sê tu quem serve.

Servir não é próprio dos seres inferiores:
Deus, que nos dá fruto e luz,
serve.
Poderia chamar-se: o Servidor.
E tem os seus olhos fixos nas nossas mãos
e pergunta-nos todos os dias:
- Serviste hoje?

Gabriela Mistral, poetisa chilena (1889-1957)

terça-feira, 20 de outubro de 2009

01 Em Meio Aos Milhares & Milhares


Fulano conhece Sicrano que é amigo de Beltrano que conhece Lusitano que conheceu Baiano que por hora conhece Juliano que me conhece, porém eu ainda não conheço o Fulano, há uma teoria muito interessante que diz que nós estamos ligados a qualquer indivíduo no mundo por no máximo seis pessoas.
Isso ocorre porque durante seu e o meu percurso, nós conhecemos de cinco a seis mil indivíduos que passam por nossas vidas (veja bem, com a expansão da net, Face Book, Orkut esse número deve ter triplicado ou quadriplicado), alguns mais populares conhecem mais e outros ranzinzas ou tímidos não tem tal oportunidade.
Milhares de histórias se mesclam com sua personalidade e forma de encarar os fatos, você admira pessoas que não conhece, fantasia com as que pouco tem haver com seu estilo de vida, odeia algumas que não tiveram a oportunidade de se apresentar melhor e endeusa algumas que nem se sabe bem ao certo.
Nesses muitos conhecidos e rostos familiares, escolhe dois ou no máximo três para perpetuar sua amizade e carinho, confia e conhece seus anseios, medos, alegrias e vitórias em um simples gesto ou troca de olhares.
Essa teoria de certa forma é um conformismo para nosso legado de frustrações, pois sabemos que ainda há esperança em conhecermos alguém que de certa forma possa nos ajudar a concretizar nossos sonhos e devaneios, não que não possamos conquistá-los de forma honrosa e sozinhos, mas conhecer pessoas e ver sobre a ótica dos demais sobre os mais variados assuntos, nos abre caminho não só de oportunidades, mas também de novas possibilidades sobre o que achamos e esperamos da vida.
Essa é a grande lição que temos que aprender, aprender a ouvir, ser gentil, entender e conhecer cada vez mais pessoas e suas lições, detectar as suas necessidades e explorar a tão frágil relação de troca que é cada vez mais uma obrigação do que satisfação.
Sinto que quanto mais pessoas conheço, mais eu vejo como o ser humano esta egoísta em sua alma e existe um menor prazer em conhecer e maior em negociar seja em que esfera estiver.
Quero que meu número seja muito maior que seis ou sete mil indivíduos, mas só quero isso se eu for fazer nem que em um pequeno detalhe a diferença em suas vidas.
Não planejo ser o bonzinho da história, tento na medida do possível ser mais plausível possível e acredito no ser humano, às vezes falto com a verdade comigo mesmo ao tentar apaziguar minhas relações e no final descubro que fui injusto, pois não há erro que se concerto sem bronca que se leve.
No final das contas eu sou assim, mas sei que quando meus dias findarem em um belo entardecer de março sei que serei um pouco melhor do que hoje, por isso que a vida continue e que os mal tratos que ela nos trás sirva de lição e compaixão, que cada pessoa que passa em nossas vidas seja eterna e que com ela você aprenda e ensine o sentido de se construir uma história.


Rodrigo Bertolazzi
20/10/2009

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

AMOR, DIZ A MITOLOGIA..


AMOR, DIZ A MITOLOGIA..

"DIZ A MITOLOGIA,
QUE NAS NOITES FRIAS,
O AMOR IRRADIA,
MIL VIBRAÇÕES.

DAI A PALAVRA AMOR,
FICA VIBRANDO DE TANTA DOR,
A FLOR EXPLODE COM ARDOR,
E AS CORES DO ARCO IRIS ,
ABREM ASSIM SEM RANCOR.

DIFÍCIL É SABER SOBRE A VIDA,
SOBRE A LIDA, SOBRE A GENTE,
O DESTINO QUE FASCINA,
QUE ENSINA A GENTE
A SE EQUILIBRAR.

SE SOMOS O QUE SOMOS,
E SE NÃO SENTIRMOS O CARINHO,
CARINHOSAMENTE SOMOS,
IGUAIS EM TUDO NA VIDA.

SENTIMOS A EMBOSCADA DOS 20.
O ENCANTO DOS ANOS 30,
A DESILUSÃO DOS 40,
O REENCONTRO DOS 50.
E QUANDO CHEGARMOS AO 60?

DAI A GENTE TENTA, AGUENTA,
SUPORTA, NÃO IMPORTA,
É O DESPERTAR DA VIDA.

QUE EMIGRA, PARA LUGARES
INTRA - ESTRELARES,
JUNTOS AOS SERES MITOLÓGICOS,
SEGUINDO A LINHA DOS PLANETAS."

Autor desconhecido......

Obrigado Professor!


Obrigado Mestres! Por acreditarem em nós, por acreditarem em um futuro melhor em nossa história! Obrigado por aturar nossas criancices e má educação, transformar elas em pensamentos e comportamento, obrigado por investir em nós.
Agradeço por me ensinar, não só a matemática e português, mas sim o sentido do respeito e o prazer de aprender, obrigado por me ensinar a ler e escrever, pois sem seus ensinamentos nem estaria aqui para poder agradecer.
Obrigado por fazer do nosso aprendizado não um trabalho e sim uma satisfação! Obrigado por fazer me sentir especial e saber que temos nossos valores, que podemos fazer melhor e ser cadê vez um ser humano melhor.
Obrigado por me ajudar nas horas de medo e me orientar nas horas em que estava perdido, obrigado por me dizer que estava errado, só assim consegui aprender o que era necessário para hoje ser o que sou.
Obrigado por me fazer compreender coisas que eu achava complicado e me afastar de tudo que era errado, obrigado por resolver tudo que achava complicado e esclarecer que existe uma solução, obrigado por me convencer que sou muito melhor do que pensava.
Obrigado pela sua paciência a minha ignorância, pelo seu amor igual aos 40 ou 50 que ali estavam, obrigado por mesmo sem eu retribuir, você continuou a insistir e investir.
Obrigado por me fazer lembrar dos melhores anos de minha vida, onde eu tive a oportunidade de conhecer, questionar e aprender como nunca mais terei no resto dela, sem aquela preocupação ou pulga atrás da orelha sobre o que é ou não é das situações.
Obrigado por me alertar sobre o dia e sobre a vida, que cada dia era renovação e uma nova chance de me encontrar nessa imensidão que é o mundo.
Obrigado por me repreender e fazer eu entender que meu comportamento era inadequado, obrigado por orientar meus pais sobre o que eu fiz, obrigado por me receber em sua aula de braços abertos e fazer de uma criança um cidadão.
Fica aqui minha humilde homenagem aos professores de todo o Brasil, que muito fazem por nós e pouco recebem de volta, um feliz dia dos Professores a todos esses heróis!


Rodrigo Bertolazzi 15/10/2009

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Gostaria!


Às vezes eu gostaria que a vida fosse assim, como nos filmes hollywoodianos onde tudo da certo para mocinho, onde existe uma música para cada situação e sonhos, onde lutamos contra nossos demônios e descobrimos o sentido real de vencer e ser o herói da história.
Nessas aventuras e desventuras que passamos, enfrentamos nossos medos de peito aberto ou escondidos em nossa vergonha, problemas, soluções, virtudes e mentiras chegando a conclusões e desentendimentos cada vez mais confusos.
Gostaria que tudo fosse simples e que a complexidade fosse abolida de nossas existências! Que o supérfluo fosse algo hediondo, onde os julgamentos fossem mero acaso e não constante provações do que você é na sociedade.
Viver com a esperança ao invés da intolerância humana, gostaria que nesse script da vida pudéssemos mudar nosso futuro sempre para melhor e mudar também a vida daqueles que te rodeiam de forma sublime e satisfatórias.
Gostaria que a vida fosse controlada e arquitetada de forma minuciosa, rica nos pequenos detalhes e saborosa em sua vertente, que o ócio e seu vazio fossem banidos de nossa existência e configurasse só nas lembranças daqueles que viveram esse tempo.
Gostaria em meus mais profundos sentimentos oníricos que a vida não nos levasse e sim que nos a levássemos, para esquerda ou direita, em linha reta, de cima para baixo e da forma mais prazerosa possível.
Gostaria que a vida não nos pregasse peças teatrais e manifestasse sua beleza e respeito em nossas relações, gostaria de não mais fantasiar e concretizar esses estranhos desejos e manifestar toda vontade que tenho.
Gostaria de ter em meus braços não à vontade, mas o mais puro concreto de meus desejos, sem que isso arrefeça minha vontade de continuar a gostar e ver no mundo mais beleza.

Gabriel García Márquez


"Descobri que minha obsessão por cada coisa em seu lugar, cada assunto em seu tempo, cada palavra em seu estilo, não era o prêmio merecido de uma mente em ordem, mas, pelo contrário, todo um sistema de simulação inventado por mim para ocultar a desordem de minha natureza. Descobri que não sou disciplinado por virtude, e sim como reação contra a minha negligência; que pareço generoso para encobrir minha mesquinhez, que me faço passar por prudente quando na verdade sou desconfiado e sempre penso o pior, que sou conciliador para não sucumbir às minhas cóleras reprimidas, que só sou pontual para que ninguém saiba como pouco me importa o tempo alheio. Descobri, enfim, que o amor não é um estado da alma e sim um signo do Zodíaco."

Gabriel García Márquez

Ser ou não ser!



Gostaria de ser sábio o suficiente para não só responder, mas compreender todos os enigmas e mistérios pertinentes a nossa tão esfolada e complexa rotina.
Sei que falo demasiadamente sobre ela, às vezes me questiono se realmente tenho feito algo para que seja alterado o percurso dos acontecimentos, ou se sou tão humano que fico a reclamar ao invés de mudar meu comportamento.
Buscar resposta sobre tudo a todo instante nos fragiliza e demonstra uma imensidão de possibilidades existentes, algumas são de fato mais precisas, pois busco na racionalidade uma forma mais concreta de agir sobre o presente, porém quando o emocional fala mais alto e ai que mora o perigo.
Fico com medo de ser mais um leigo, leigo nos assuntos que dizem respeito a nossos corações, hora indago que a racionalidade é o que comanda meu estado de espírito, embora o que eu vejo, ou melhor percebo é que tenho demasiadamente medo sobre o que me embarga as vistas.
Se minhas ações são movidas pela emoção, sou melódico demais e acabo por afastar o que desejo, não consigo ser de outra forma, embora fique martelando em minha mente a forma como agir, mas sempre o impulso e o emocional falam mais abertamente e me colocam em situações de risco.
Não acho isso ruim não, lógico que as coisas nem sempre, aliás quase sempre saem de forma diferente da idealizada, isso porque nós realizamos quando algo acontece conforme nossas pretensões, mas esquecemos que os demais envolvidos também tem suas pretensões e anseios a serem satisfeitos.
Digo isso, porque de certa forma tenho me descontrolado emocionalmente e vivido algo inexistente, inexistente não pela possibilidade de existir, mas sim pela forma que estou agindo e deixando que a possibilidade de algo acontecer não exista.
Difícil esse paralelo entre ser racional e levar as coisas no emocional, hoje mesmo ao ouvir algumas músicas melancólicas e relembrar coisas do passado não consigo resolver questões do presente, embora minhas inseguranças sejam as mesmas de quando eu tinha lá os meus dezoito anos e um pouco perdido sobre tudo.
Fico pensando e arquitetando uma vida a ser vivida de forma tão romântica quantos os filmes hollywoodianos e seus finais fantásticos sobre superações de todos os problemas e a mágica paixão vencendo todos os obstáculos no final.
Percebo então que na prática, tem mais lógica algo como closer – perto demais, onde mentiras, traições, dúvidas sobre amar e ser amado, paixão e destempero fazem mais sentido as minhas atuais pretensões.
Não quero que a dúvida sobre o que poderia ter sido me deixe louco caso não seja!

sábado, 10 de outubro de 2009

Segundona Brava!!!!


Pode-se dizer que o pé no saco da vida cotidiana é a segunda feira, nela nos percebemos o quanto nossas vidas estão estagnadas e visivelmente predestinadas a rotina e caos.
É sabido, percebido, aceitado, por nós que os tentáculos da rotina nos envolvem, por mais que sejamos “escorregadios”, para esquivarmo-nos do seu tedioso abraço.
A Segunda-feira, parece incorporar com maior ênfase a face da rotina, dando-lhe, uma situação dentro do nosso velho e tedioso calendário. Mas a bem da verdade a rotina espalha-se por todos os dias de nossa semana, galgando, corroendo, infiltrando-se em toda a atividade, que insista em se repetir um punhado de vezes. E por mais lúdico e prazeroso que sejam nossos afazeres, esses cedem a persistente e sub-reptícia rotina, que se avizinha sorrateira e nos acomete de inopino.
Se fizermos um simples silogismo, constataremos, que até nossos lazeres mais episódicos, acabam por ser envoltos nas teias da rotina, afinal conforme vão se repetindo, perdem seu caráter de novidade. Sem falar da própria novidade, que parece nascer, fadada a casar-se com a rotina, perfazendo-se uma mórbida e desagradável união. Será?
Muito embora, que a Segunda-feira e toda a rotina que ela representa, sejam a princípio um “pé no saco”, segundo o meu entendimento a rotina já vem incrustada a tudo, que, de forma perene, acontece em sua primeira vez. Posto isso, infiro, que a solução para esta indagação, não é arrumarmos subterfúgios, para quebrarmos a rotina, e sim amarmos a rotina que temos, nem que para isso, seja necessário, aniquilar a velha rotina, essa com certeza, chata e tediosa, haja vista, as infindáveis reclamações.
Sem dúvida, a proposta transcrita, no parágrafo imediatamente acima, é de difícil realização, mas creio eu, que vale a pena. Pois imagine o dia que você ao acordar em uma Segunda-feira, em vez de amaldiçoar o dia, gritar :- TESÃO, HOJE É SEGUNDA FEIRA!
Acredito que a partir deste dia, a rotina vai ser um detalhe desapercebido. Caminhe-mos neste sentido, pois vale a pena.
Como sugestão, é fundamental que nosso dia a dia, seja repleto de atividades lúdicas e prazerosas. Perceba como é relevante, certas atividades corriqueiras, e quanto prazer elas lhe proporcionam. Afeiçoe-se ao seu day by day (roubei esta expressão do meu amigo escriba MAM rsrs), e garanto-lhe que o resultado será, no mínimo compensador, para não dizer que mudará sua vida.

Rodrigo Bertolazzi
10/10/09

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Sexta Feira Mágica!!!!!


Rezamos para que as sextas cheguem rápido, passamos a semana programando o tão sonhado dia, pensamos na tarde ensolarada e fresca, na qual saímos para tomar aquele chopinho delicioso com amigos, sorrimos, contamos piadas, falamos mal dos colegas de trabalho, reclamamos ou melhor desabafamos a semana tortuosa de tarefas e afazeres árduos, às vezes até encontramos nossas almas gêmeas em meio a farra e saímos até acompanhado do momento relax.
Depois vem o sábado, um dia real de folga onde viagens e passeios são mais apreciados, na verdade é a continuação da tão sonhada sexta feira relax, logo em um piscar de olhos chega o domingo, dia fatídico e temeroso, pois depois dele o recomeço da rotina inicia-se.
Mas voltando ao assunto da sexta mágica, ela nos promete uma vida diferente, repensamos a respeito de nossas atitudes e vergonhas, nos reunimos com amigos para descontração e desabafo, buscando conselhos mais precisos sobre o que fazer em meio a uma conversa informal.
Porém a sexta também exerce uma pressão, uma obrigatoriedade de ter algo que fazer com quem fazer e onde fazer! Mágica sexta que trás os corações apaixonados e loucos de saudades ao encontro perfeito.
Estamos podres pela semana corrida, mas resgatamos energias para brilhar e sermos vistos em meio a multidão como seres especiais. As sextas damos mais importância as grandes notícias, pois elas podem interferir em nossa jornada do curto final de semana.
Pensamos na sexta, vivemos as sextas e só queremos que a sexta chegue tão depressa quanto um atleta de ponta na corrida dos 100 metros em olimpíadas, mas esquecemos que este anseio e essa pressa no dia relax acaba apressando os dias da rotina e muitas coisas e pequenos detalhes passam despercebidos ao longo da vida.
Eu amo a sexta feira e tudo que ela representa, gostaria de poder curtir todo o recomeço de semana e perceber que não é só a sexta que é mágica, que todos os dias são uma vitória, que a rotina pode ser prazerosa conforme a sua percepção sobre as coisas.
Perceber que cada dia deve passar lentamente e puramente, aproveitando, aprendendo e melhorando a cada instante, espero um dia achar que todo dia é sexta e que vida não se resume em relaxar um dia e ser torturado pelo simples recomeço do outro.
Desejo a todos uma boa segunda, terça, quarta, quinta, sexta, sábado e domingo... E que novos dias nos tragam novos pensamentos e novas histórias para relembrar e se orgulhar!

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Rio 2016


Um sonho que agora é uma realidade próxima, em meio a apreensão sobre o anúncio de qual seria a cidade cede dos jogos olímpicos 2016 recordei de fatos sobre o quanto já me emocionei com as olimpíadas e sua história, embora eu seja novo ainda, desde que me conheço por gente acompanho as olimpíadas em sua integra.
Lembro da tocha olímpica em Barcelona sendo acesa por uma flecha que após a abertura foi revelado o truque dos gazes, lembro das decepções da olimpíada na Austrália e nenhum ouro, a abertura que na minha opinião foi a melhor de todas da Grécia, que com sutileza e maestria nos contou com uma riqueza de detalhes toda história do berço da cultura e dos esportes. A perfeição da abertura dos chineses, enfim, muitas coisas aconteceram de lá pra cá, mas me recordo cada instante e cada jogo, cada luta, corrida e esperança de um futuro melhor.
Apostamos grande em alguns atletas e esquecemos que eles são humanos como nós, com os mesmos medos, anseios e emoções, julgamos de incompetentes aqueles que não trazem o tão aclamado ouro, mas esquecemos o quanto foi difícil chegar até lá e conquistar um espaço em meio a milhões que sonham estar ali.
Choramos, gritamos, achamos injusto e gritamos aos quatro cantos do mundo que somos brasileiros quando vencemos, mas olimpíada é muito mais que esporte, olimpíada é a forma mais sublime que todas as nações se reúnem para comemorar e celebrar a união de raças, credos, culturas tão diversificadas.
Agradeço pela oportunidade de poder acompanhar uma olimpíada em meu país, mesmo que eu no atual momento esteja enojado com a atual situação política, mas não há nada que me faça ficar triste, pelo menos até 2016.
Devo admitir que chorei junto com nosso presidente e com milhões de brasileiros, também agradeci por não mais ter que ficar acordado de madrugada srsrsrs....
Parabéns Rio, parabéns Brasil! Vamos todos juntos nessa!!!!

domingo, 4 de outubro de 2009

Paixões!!! Paixões!!!! Paixões!!!!!


Não há como explicar! O frio na barriga se da na troca de olhares, no toque da mão ou no compromisso selado quando os lábios se encontram.
Sensações únicas e virtuosas, vontade de um eterno primeiro encontro e congelar o primeiro beijo para eternizar a lua, o sol, a vida e o instante de alegria e êxtase presenciado e petrificado na mais pura e saudosa lembrança.
Mas quando isso não ocorre? Sentimos paixão demais, muita das vezes não correspondida ou ignorada pelos sentidos que emanam a natureza humana, estamos frequentemente tentando de alguma forma dizer que estamos aqui e sentimos a desventuras e salubridades que a paixão nos trás.
Nós sentimos traídos pelo destino e muita vezes injustiçados pelos julgamentos quando se trata de estar com alguém, merecer alguém ou ficar só.
Perdemos a razão e ficamos tímidos perante a situação, agimos no impulso e muita vezes, pode-se dizer demasiadamente de uma forma contrária a nossa razão, prejudicamos tudo por conta de nada, esquecemos que nem sempre o certo pode dar certo, fazemos tipo, inventamos máscaras e vestes, tentamos impressionar e o prêmio recebido é ficar só.
Não que ficar só seja ruim, muito pelo contrário e bom estar só e poder curtir e descobrir coisas a seu respeito que nem passava por sua humilde e singela imaginação, mas estamos sozinhos e com aquele sentimento terrível de rejeição e vazio.
Nem é perceptível nossa insistência e negligência no que tange nossas ações, somos precipitamos e estúpidos, agimos como se o controle fosse inteiramente nosso e com uma simples palavra jogada em nossa cara, toda aquela poupa de sabidão cai no poço sem fundo.
Pergunto onde foi que errei? Errei ao esquecer que o principal personagem dessa história sou eu, sem cascas ou máscaras que me façam melhor ou pior do que já sou, mas com a simplicidade e tolerância que me são pertinentes permitam que eu possa me mostrar de verdade.
Aqui não há fórmula precisa ou conclusiva sobre o que fazer, para que seja possível, não adianta escrever poemas e fazer menções a todo instante, mas sim que haja uma recíproca verdadeira e única entre as partes!
Não é fácil se doar, seja qual for a relação em que se encontra, não é fácil não conquistar o coração que tanto você quer, mas também não é difícil esquecer o que passou e partir para outra e tentar ser um pouco mais paciente e não intransigente como costumamos ser.
Porém devo admitir que estar apaixonado é um fato maravilhoso, pena que nunca é pra sempre!

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Nossas Escolhas!


Escolher sempre é um fardo muito pesado, nós vivemos para reclamar das conseqüências que nossas atitudes inferem em nossa rotina, sempre passa despercebido em nossa mente que nada acontece por acaso, embora as influências externas tenham um pouco de participação sobre os acontecimentos.
Toda e qualquer situação que é vivenciada, não é mero acaso, são nossas escolhas, nós escolhemos nossas amizades, escolhemos nossa educação, nosso emprego e as conseqüências são as pessoas que podemos contar, nossa busca mais árdua ou tranqüila pela felicidade e até o local onde moramos, pois tudo depende de suas escolhas e ações para que tudo prossiga de forma harmoniosa.
Nossas escolhas são o reflexo do nosso bom humor e instinto assassino, natural quando as coisas fogem daquilo que você achou que iria acontecer conforme o que realiza.
Sabemos da dificuldade, às vezes até temos em nossa consciência que o caminho a ser seguido é aquele, mas nos damos ao luxo de não economizar possibilidades e cometamos pequenos desvios nessa árdua e escaldante jornada, sendo assim o resultado final não é o mesmo.
Lamentações são freqüentes, mas indagações passam sem grande ênfase, tão pouco com uma análise mais profunda sobre o que realmente deve ser feito, criticamos todos a nosso redor, nosso chefe, nossos país, nossos amigos e esquecemos que nós estamos no meio do furacão.
Crescemos acreditando nas próprias desculpas, mais esfarrapadas do que nossas próprias dúvidas, indagamos os demais participantes, procuramos mais problemas do que soluções e sempre pontuamos como certo, mesmo quando tudo esta errado.
Nossas escolhas são o espelho daquilo que realmente somos, é a responsabilidade daquilo que seremos, é a verdade sobre tudo que passamos, não somos maiores que nossas escolhas, porém somos responsáveis por tudo que elas nos trazem de bom ou ruim. Paciência, esse é o fardo que temos que carregar, quem sabe um dia acertamos nossas escolhas!

domingo, 27 de setembro de 2009

Domingueira Brava!!!!!!!!


O domingo nos trás uma certa frustração, trás o medo do novo começo e das surpresas que trazem a segunda-feira tão temida pela massa humana! Deixa claro o que poderia ter sido, mas por má vontade ou até pelas circunstâncias deixou de ser.
O fim do repouso, o retorno da viagem e aquela sensação de mau agrado que todas as responsabilidades e frustrações iniciam ao término daquele dia.
Alguns tiram o dia para passear ao parque, outros fazem as compras de última hora, mesmo com aquele sol de rachar, se escondem em um shopping center e cobram dos vendedores a tão buscada recompensa pelos fortes esforços da semana. Mas tem os domingueiros que insistem em sair com seus carros só para dar aquela voltinha básica no quarteirão, acabam por atrapalhar o trânsito da cidade toda.
Almoço na casa da sogra ou da mãe, família reunida para falar mal dos não presentes e das falhas alheias, comemos, bebemos, brigamos e depois de tudo marcamos na casa de quem será o almoço na próxima semana.
Quando se realiza tudo conforme o cronograma, hummm... daí sim fica pior, pois sabe-se que não há nenhum imprevisto, agora sim o final de semana acabou e você necessita organizar suas tarefas do novo começo.
Domingo é o dia mais improdutivo do cidadão com mínimo de consciência na alma, pois ele é o muro entre o fim é o começo de tudo, domingo é um dia que pode ser ensolarado ou chuvoso, mas domingo é domingo e não muda, parece até aquelas mulas que quando empacam na esquina jamais arredam o pé dali.
A gente até tenta inventar alguma coisa ou outra diferente, mas no final estamos todos sentados em casa, assistindo ao último bloco do fantástico esperando pela notícia bomba que a segunda-feira acabou de ser abolida do calendário, como se isso fosse fazer alguma diferença, pois o dia depois do domingo sempre será o dia que tudo começa e domingo sempre vai ter a fama do dia que tudo acaba!
Sendo assim, só posso desejar a todos um ótimo domingo! E que cada história seja diferente de cada domingo....

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

A Noite e sua Beleza!


A noite cai e com ela nossas preces aumentam, com toda sua magia e mistério resplandece em nossa mente ao fechar das pálpebras o sentimento de dever cumprido.
Pensantes como ser, digo isso pois refletimos inconscientemente sobre tudo que nos afeta quando deitamos nossa cabeça em nosso confortável e já moldado travesseiro.
Íntimo de nossas angústias e desnecessário a nossas alegrias, o único que se encaixa perfeitamente e discretamente a essas sensações de perda e ganho.
É a noite que o toque macio da alma se encontra com o peso do cansaço ofegante por uma noite bem dormida ou pelo menos pelo esquecimento de afagos passados, nesse momento que podemos encontra o equilíbrio de um mero mundo onírico ou a realidade de sonho que tarda a consumar.
À noite e sua bela lua, nos hipnotiza, deixam mais fragilizados os corações solitários, não só pelo seu encantamento natural, mas pela sua sintonia com o momento nos enchendo de energia em busca do amor nunca encontrado, mas também das noites em nostalgia daquilo que foi e você não percebeu.
Fisgamos o cupido e ficamos mais românticos e esperançosos, encontramos em sua perfeição virtudes e inspiração para acreditar no quanto e bom. Não despertamos e sim acalmamos nossas inquietações, pensamos, lembramos, refletimos e finalmente nos convencemos e cedemos ao sono.
Com a noite, levamos nossas crenças e olhares e despertamos para mais um novo amanhecer encantador!

Rodrigo Bertolazzi
25/09/2008

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Discussões... Discussões!!!!



Prometi, como algo pessoal que jamais iria discutir política neste blog, mesmo porque a proposta é completamente diferente, me abstive de certa forma, decidi parar de ouvir a CBN e também fiquei algum período sem ler o caderno Nacional do Estadão, mas notícia que pipoca aqui, notícia que pipoca ali e você acaba sabendo de coisas que não queria saber.
Não vou levantar bandeira nem criticar esse ou aquele político, só vou inserir no contexto meu humilde e singelo ponto de vista e tentar colocar em poucas palavras o sentimento de dois tipos de eleitores e nossas obrigações mínimas uns com os outros.
Várias vezes tenho ouvido de alguns colegas, críticas ferrenhas ao atual governo, sua forma populista cheia de movimentos socialistas pela perpetuação do poder, eles acreditam que seja um absurdo pessoas que votem no atual governo pelo fato de receber a bolsa família ou outros programas assistencialistas existentes.
A maior parte destas pessoas, tem situação econômica infinitamente melhor e superior à aqueles que necessitam desse programa para uma sobrevivência desesperado, a maioria deles inclusive são funcionários públicos que sempre estão envolvidos em greves para salários mais justos, nem vou entrar nesta questão, porque também acho que seja de direito tentar conseguir salário mais justo pelo serviço que executa.
Porém com o atual governo, tão criticado pelos programas assistencialistas aos menos desfavorecidos, sem lógica alguma, esses mesmos cidadãos mudam o discurso, não que eles idolatrem ou então concordem com atual gestão, mas por conveniência, veja bem, mera conveniência, não querem que outra frente partidária venha a abocanhar o poder.
O atual discursos desses, que mesmo votando no PT abolem qualquer membro do partido, alegam que nunca na história desse país (desculpe presidente, mas tive que plagiar sua atuação!) um governo foi tão benéfico para funcionalismo público, não só nas aberturas de novos cargos públicos mas também em questões salariais e etc.
Então eu me pergunto, isso também não é compra de voto? Eu não concordo com a sua forma de governo, com as condições que você oferece as classes menos favorecidas, acredito que o outro partido tenha maior capacidade para desenvolvimento econômico e pode elevar a qualidade da educação, saúde e principalmente de dignidade, mas não voto nele porque o atual governo me dá uma salário melhor?
Isso é egoísmo, olhar para seu próprio umbigo! Criticar o cara que recebe R$ 80,00 da bolsa família a votar no atual governo!
Quando nos sentirmos a necessidade de conhecimento de todos, a necessidade de uma vida melhor, com condições mínimas plausíveis para que você tenha condições iguais de educação, saúde, lazer.
Na atual conjuntura, isso é uma utopia, não como prever a igual condição de dignidade humana, porém podemos iniciar esse processo e tomar um pouco a responsabilidade do governo, sendo um pouco mais solidário com os demais.
Nos estamos famintos, não só de comida, mas de conhecimento e esperança que podemos melhorar um dia nossa condição.
Vejam bem, não estou querendo discutir qual é o melhor regime de governo ou partido ideal para melhorar este quadro, até acho essa discussão saudável, mas me revolto quando sei que alguém que tem conhecimento sobre as circunstâncias se manifeste tão desfavoravelmente sobre o assunto.
Mas prometo não falar mais sobre o assunto aqui em meu blog! Espero que aqueles que tem o mínimo de consciência prestem mais atenção nos seus eleitos, não se preocupem única e exclusivamente com seu umbigo, pois você pode até estar em uma posição mais privilegiada, porém não vai ter muito que saborear em meio a uma sociedade em frangalhos e prejudicada pela longa história de desigualdade e corrupção que transformou uma riqueza em miséria, um país único e maravilhoso em uma depredação.

PS. Não sou petista, nem defendo bandeira, apenas acompanho histórias e procuro me informar sobre os projetos para depois decidir em quem votar... Já errei meu conceito, mas tento concertar sempre!

As coisas que nos cercam!


As coisas que nos cercam

de: Paulo Henriques Britto

"As coisas que te cercam, até onde
alcança tua vista, tão passivas
em sua opacidade, que te impedem
de enxergar o (inexistente) horizonte,
que justamente por não serem vivas
se prestam para tudo, e nunca pedem

nem mesmo uma migalha de atenção,
essas coisas que você usa e esquece
assim que larga na primeira mesa —
pois bem: elas vão ficar. Você, não.
Tudo que pensa passa. Permanece
a alvenaria do mundo, o que pesa.

O mais é enchimento, e se consome.
As tais Formas eternas, as Idéias,
e a mente que as inventa, acabam em pó,
e delas ficam, quando muito, os nomes.
Muita louça ainda resta de Pompéia,
mas lábios que a tocaram, nem um só.

As testemunhas cegas da existência,
sempre a te olhar sem que você se importe,
vão assistir sem compaixão nem ânsia,
com a mais absoluta indiferença,
quando chegar a hora, a tua morte.
(Não que isso tenha a mínima importância.)"

Gostaria eu te ter escrito algo assim... mas um dia quem sabe eu chego nesse ponto...

E Vai Passando e Continua Acontecendo!


Interessante a trajetória que nossas vidas traça, se contabilizarmos a quantidade de seres que conhecemos, suas características, diferenças e crenças e suas subdivisões, não percebemos ou até ignoramos por conveniência o que resgatamos em cada ser.
Aprendemos coisas boas e más, aplicamos sermões e repetimos atitudes por ingenuidade ou até maldade mesmo. Percebemos em cada ser um pouco de nossas virtudes e tentamos esconder nossos defeitos em críticas não muito enfáticas, acredito que pela semelhança ou sentença.
Identificamos em uma multidão de opções pessoas que levamos para vida inteira, mesmo que esse ou aquela simplesmente fique emudecido em sua presença, mas a agradável presença te faz querer sempre estar próximo.
Por outro lado conhecemos pessoas incríveis que nos fazem rir, mas basta um pequeno espaço de distância para que nada mais seja igual e o que parecia ser eterno é apenas um momento.
Identificamos seres incríveis, dos quais você facilmente ficaria amigo e seria eternamente grato pela cia, mas às vezes pouco importa a sua presença ou não neste contexto! Queremos andar lado a lado com os mais populares no colégio, os caras e as minas mais admirados, os mais bagunceiros e que pouco se preocupam com o futuro, mas são invejáveis pela sua popularidade.
Crescemos conhecendo pessoas e com elas vamos moldando nosso conhecimento e encontrando verdadeiro sentido em estar com alguém e preservar este alguém em sua vida e suas histórias. Hoje me orgulho de minhas cias, são as melhores do mundo, mas ainda tenho gente a conquistar e muita história pra contar ainda!

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Nem sei bem o quê!


Fico me perguntando o porquê da nostalgia dos tempos passados? Sempre que nos acomete algo estranho ou fora da rotina costumeira, logo nos colocamos a reclamar da situação e logo lembramos, não necessariamente de algo, mas de épocas melhores.
Tentamos retroagir a vida que já se foi, não há como reviver o momento, aquele momento era algo que deveria estar ocorrendo naquele momento e não no momento de dificuldade que passa atualmente.
Sei que parece confuso, mas é muito mais estranho este sentimento de perda do rumo, quando estamos realmente mal com as circunstâncias, nós imaginamos o passado como algo necessário ao presente e esquecemos de viver a vida como deve ser observada e encarada.
Refletimos nossas esperanças em filmes ou novelas que contam trajetórias parecidas com as que vivenciamos, iludimos os fatos acusando o acaso como maior vilão para não assumir o peso de cada ação e escolha sua.
O passado é sim um momento feliz, algo extraordinário que até pode te guiar no futuro para novas escolhas e uma forma mais madura de se vivenciar um relacionamento ou planejar de forma mais coerente a sua aposentadoria.
Mas também, o passado é uma ruína para saudosistas como eu, da época em que me quebrava todo com meu carinho de rolimã, ou as brincadeiras de crianças que já não se vê mais nas crianças de hoje, mas aquilo era a minha época, saudosa maloca, maloca querida, mas era a minha e isso ninguém me tira.
Tento compreender coisas que acontecem agora comigo aos quase 30 anos, e que na época dos meus pais já com 4 filhos homens não aconteciam, as dificuldades são outras e o entendimento sobre a vida e completamente diferente daquilo que já foi.
Se evoluímos ou regredimos? Não sei, só sei que cada tempo é seu tempo e cada vida merece seu passado, presente e futuro sem lamentações do que não foi ou poderia ter sido!

Das Coisas Que Admiro!


E difícil encontrar o que admirar, eu por exemplo admiro virtudes que muitas vezes não encontro em mim e por maior que seja o esforço o peso de ser humano e errar muito, acaba por si só me desestabilizando meu pólo consciente daquilo que prego como verdade.
Falando sobre o que admiro, posso concluir que são coisas singelas, naturais ao convívio civilizado e harmonioso que deveríamos ter entre nós, habitantes deste mundo desprendido de preocupação com os vizinhos e suas necessidades.
Não é fácil respeitar o próximo, principalmente quando o próximo invade aquele que você considera seu espaço e não é de direito algum alguém se intrometer no que diz respeito, porém há de convir ou melhor podemos refletir que exista a possibilidade de estar errado sobre quantos metros quadrados mede seu terreno e que se você ceder um pouco do seu espaço pode-se sim chegar a uma equação satisfatória para ambos, sem que um fique no positivo e outro no negativo.
Eu particularmente, não só admiro como também invejo as pessoas felizes e seguras de si, não inveja de uma forma pejorativa, mas sim uma inveja benéfica, algo como foi que ele conseguiu? Também quero chegar lá! Isso eu digo porque a maioria das pessoas que conheço acreditam que não são eles que devem chegar até aquele determinado lugar e sim quem está em determinada posição a perde-la.
Concluo então que essas pessoas que conseguem atingir um estado de felicidade e segurança, só estão lá porque não se preocupam com sentimentos mesquinhos e pouco louváveis como puxar o tapete daqueles que estão no mesmo caminho. Penso nisso pelo fato de ser tão prazeroso quando alguém que você admira e gosta de verdade consegue atingir os objetivos mais simples e realiza as coisas mais impensáveis.
No meu humilde e singelo ponto de vista, somos uma forma egoísta que tem salvação e podemos melhorar nossa história a cada instante, sempre desejando coisas boas e tentando na medida do possível crescer! Não que seja fácil, eu tenho plena consciência do que tem que ser feito, mas muitas vezes alguém vem e pisa no meu calo então já viu néh!
Eu admiro as pessoas que trilham a sua história e que sem preocupações estapafúrdias conseguem se livrar dos julgamentos, pré-conceitos, das diferenças, das crenças e do egoísmo. Somos todos diferentes, alguns são parecidos, mas nunca iguais em sua total uniformidade, por isso, eu admiro as pessoas que conseguem ser o que eu sempre sonhei em ser! Um dia quem sabe eu também seja essa pessoa admirável!

Rodrigo Bertolazzi
21/09/2009

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Tenho Medo!


Tenho certo receio, para não dizer um medo enorme sobre o fato de escrever minhas percepções neste espaço que me foi concedido! Não pelo fato de dizer besteiras demasiadas ou errar a indagar esse ou aquele pensamento.
Mas tenho medo de encontrar as resposta que tanto busco e após este longo período de bobagens expostas não ter mais o escrever aqui.
Fico feliz a cada postagem, pois sei o quanto e difícil se abrir e escrever nem sempre aquilo o que pensa, mas sempre o que passa na sua mente, às vezes muito alegre, mas muitas vezes algo que perturba suas palpitações e vertigens e que acaba de nos surpreendem em nossa rotina.
Óbvio me parece que estou longe de chegar a um consenso exato do que busco ou penso em buscar nesta exposição demasiada, mas a cada reflexão, por mais inóspita que seja, pode-se chegar à conclusão que ou você andou mais que consegue acompanhar ou então estagnou na mesma tecla da nota musical.
Até eu mesmo questiono o fato de dar sentido a isso tudo que escrevo, pois digo a quem lê, que não há sentido algum, pois aqui exponho minhas dúvidas sobre a vida, vida esta com pouco rodagem, sem experiências que possam ser conclusivas e enfáticas a resposta mais coerentes.
Tenho medo de me prolongar nesta história de buscar a certeza e deixar de compreender a magia que a dúvida nos trás, ensinando aos nossos instintos e sentidos sua forma sublime e apocalíptica de percepção e bondade.
Tenho medo do julgamento e não aceitação de minhas idéias por mais absurdas que sejam, ou até da incompreensão do que sinto ou falo em determinadas circunstâncias.
Depois de descobrir que tenho medo, fiquei feliz ao descobrir então que sou mais humano que pensava!

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Obrigado!!!!


Hoje eu tive uma pequena surpresa, há tempos eu venho enrolando em ir para academia e semana passada eu voltei a malhar em uma academia próxima de casa, mas quem me conhece sabe o quanto eu sou preguiçoso, então já faltei dois dias esta semana, mas devo admitir que um dia foi em decorrência de trabalho.
Bom, mas paremos de choro melas e vamos ao que interessa, há um cidadão na academia, que inclusive é uma figura, muito simpático e engraçado, que inclusive carrega o peso do mesmo nome que o meu Rodrigo, que ao me abordar questionou se eu tinha um blog, a princípio imaginei que era uma pergunta solta que coincidiu com fato de eu realmente ter um blog, inclusive soltou uma brincadeira dizendo para não falar mal dele no blog, mas hoje ele voltou a se referir sobre as coisas estranhas que digo aqui, inclusive em sua analise, disse que meu blog era bom e muito inteligente.
Fiquei um pouco perplexo, pois o conheci há uma semana e meu blog já deve ter uns sete meses, então fiquei extremamente lisonjeado com o comentário do Rodrigo lá da academia Modela Center, e muito feliz em perceber que o que escrevo realmente é lido por alguém.
Na verdade estou escrevendo isso tudo para agradecer não só ao simpático e divertido Rodrigo, mas também a todos o que desprendem de um tempinho para ler as coisas estranhas que só este idiota diz.
Agradecer a Vanessa que lá da Colômbia não esquece do seu amigo encalhado kkkk e sempre comenta meu blog, alias saudades gata, volta logo néh... Agradecer ao Damião que sempre tece elogios a meu blog, ao Renato que não o conheço mas também esta sempre por aqui, a Paula que acompanha e elogia minhas insanas idéias, a tocha que além de uma maravilhosa amiga é uma crítica literária profissional, ao Marcos Salera Castro que tive o prazer de conhecer, uma figura extremamente simpática e um cara do bem, ao João e a Josi, meu casal de amigos predileto que já perdura nossa amizade a treze anos, inclusive o João é o meu melhor e amigo!!!! Confidente e companheiro, mas ta sumido...
Agradecer a Camilla e turma, que dizer desta pessoa que freqüenta minha vida a vinte e três anos com muitas alegrias e tristezas, mas sempre com uma piada no final da história, enfim agradecer a todos que me ajudam de uma certa forma a compor este espaço, alguns amigos que aqui não foram citados mas nem por isso são esquecidos!
Gostaria também de agradecer a todos os blogs que acompanho, pois que seria do meu blog senão tivesse um pouco de inspiração, mas eu digo um pouco porque é óbvio que ela tem muito mais talento para compor este humor inteligente e divertido que é o Delírios Insanos de Ivy Farias, o tão bem escrito que não é só mais um blog de moda do Rodrigo Paiva, mas sim um excelente blog muito bem feito sobre moda, ou então das mensagens únicas, seja de pensamentos próprios ou poemas e poesias reflexivas do nosso querido Marco Salera Castro, que já citado também tem um blog maravilhoso, seja pelo único texto do espaço eu do Thiago, que já dei um puxão de orelha nele que escreve coisas ótimas mas não publica, ou então as Idéias de Devaneios do Marco Aurélio Moura, que não conheço pessoalmente mas já o admiro pela forma direta e conceitual que escreve, sem medo de se expor e com muita confiança no seu talento, inclusive quem vê a cara de bravo desse rapaz não imagina a delicadeza que ele consegue enxergar a vida através da lente fotográfica em seu fotoblog com fotos únicas e emocionantes.
Poderia ficar aqui horas e mais horas ou melhor folhas e mais folhas, mas não quero ser genérico tão pouco demasiadamente longo, por isso fica a minha gratidão e alegria em saber que alguém um dia leu o que escrevi, sentiu minhas dúvidas, alegrias, tristeza e entendeu o que eu disse.
Muito obrigado a todos, meu desejo é que eu sempre tenha inspiração e tempo para continuar a escrever e fazer a coisa certa...
Obrigado pelas inspirações e emoções que sinto ao ler e ser lido por cada um de vocês....

PS. Viu Rodrigo não falei mal de você no meu blog não kkkkkkk.....

Liberdade para ser respeitado!


A vida não é fácil ou nós dificultamos o andamento natural dela? Sinceramente, não há como saber ou prever um resultado sobre tal questão!
Nós somos livres para fazer exatamente o que nos da na telha, mas não somos fortes o suficiente para conseguir arcar com as conseqüências de tudo que volta contra nossas atitudes e egoísmo.
Apreciar o momento e analisar as hipóteses a serem seguidas respeitando o espaço do indivíduos a seu redor é o fato crítico de todo e qualquer ser humano sofre em cada ação e reação cotidiana, porém, se nós refletimos por um instante que seja de forma a nos colocar na pele dos demais e sentir as reações adversas, descobriremos o quanto simples fatos ou comentários podem atingir em cheio cada indivíduo.
Não necessariamente todos são merecedores de tal analise, mas também com que direito ou julgamento nós podemos distinguir sobre as circunstâncias que cada um merece ou não passar pelo crivo desta análise? Compreender a arrogância e rudes de alguns é um início evolutivo para chegar a tal conclusão, pois nós em nossa humilde aventura de viver, damos diversas brechas das situações que acontecem e nos atordoam descontando nos demais a seu redor, que dirá outros que nem conhecemos e tiveram um mal dia, ou pior ainda um péssima história de vida.
É difícil distinguir os fatos em si dos acontecimentos passados para desconfiança ou má educação de uns ou então complexidade dos hábitos de outros. Somos diferentes em nossa essência e pensamento, até os mais parecidos tem dificuldade em encontrar razão no que pensam ou fazem a respeito de viver a vida.
Talvez seja um carência humana ou um desespero louco que todos queiram ser ouvidos, mas acredito que só entramos no pedestal e somos admirados quando escutamos primeiro para depois dizer o que se passa em nossa mente.
Um pouco sem sentido? Não sei, mas é assim que encaro a vida, respeitando para ser respeitado e ouvindo para não passar despercebido, tem dias que amargo à tristeza profunda do vazio, mas há dias também em que a explosão de felicidade enche meu sorriso e contamina a todos e assim eu vou seguindo, crescendo, errando e tentando!

terça-feira, 8 de setembro de 2009

28 Primaveras


Hoje completo mais um ciclo em minha vida, não que eu possa argumentar sobre as coisas que passei de forma precisa e satisfatória, pois algumas ainda tento esquecer ou melhor analisar de forma fria.
Me sinto insatisfeito com tudo o que vivi, ainda é pouco e mal posso compartilhar com os demais, embora o pouco que ficou possa ajudar os muitos que me deram a oportunidade de aprender e vencer.
Hoje completo diversos ciclos, uns eternizados em fotos que de vez em quando são relembradas em meio a reuniões com velhos amigos e até mesmo com a família, outros se perderam no tempo após muito sofrimento, histórias tristes que deixam suas pequenas e irreparáveis marcas pelo corpo, mas há também os momentos que se lembrados nos enche de coragem para seguir em frente.
Devo admitir meu enorme receio em completar 28 primaveras, não pela idade, mas sim pela proximidade dos trinta, não que me ache velho ou incapaz, muito pelo contrário. O meu medo se dá por conta de não me dar conta ainda das coisas que posso realizar!
Insatisfeito não com os demais, que nada tem haver com minhas escolhas erradas e frustrações passadas, mas sim comigo, pelo estafante erro de tentar compreender tudo ao redor e tentar ser mais livre para se viver a vida, acho até que será mais simples de compreende-la quando estiver de braços abertos para aceita-la da forma como ela é.
Não de forma conformista, isso nunca, mas de forma verdadeira e simples, às vezes admitir que não sou tão bom para que um dia eu possa ser, não tentar adivinhar os passos, seguir aquelas pegadas na praia, pois alguém já chegou a algum lugar por ali.
E assim, com dúvidas e idéias sobre o que pode ser é que vou caminhar para a minha 29º primavera neste planeta, desejo completar este ciclo de forma brilhante, só assim para justificar as outras vinte e oito primaveras passadas.

Rodrigo Bertolazzi
08/09/1981

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Lágrimas...


Com olhos avermelhados e encharcados, a lágrima escorre a face e com ela um pedaço de suas sensações e emoções brotam de forma linear para presente.
Seja pelo amor perdido ou pelo primeiro beijo roubado, pela perda inevitável ou pelo nascimento abençoado, seja pelo coração partido com um amor platônico ou a viagem dos sonhos em Paris.
A casa nova ou a perda do emprego, sensações únicas que fazem nossa história mais triste e muitas vezes a mais feliz do mundo e as lágrimas escorrem.
Muita vezes nem sabemos o porquê, mas sentimos ela com aperto no coração e tentamos entender o que acontece para que seja possível ela parar ou às vezes eternizar aquela que escorre pela face em meio a uma fotografia para recordar o resto da vida.
Nos trás alegria, tristeza, conforto em um abraço e ódio nas atitudes, ela descontrola nossas percepções e ações, nos faz acreditar e nos desabilita da fé em alguns momentos, a única coisa que se sabe ao certa que ela é uma companhia constante ao longo da jornada.
Nos tranqüilizamos e reencontramos a serenidade quando ela se vai, mas não tarda para ela voltar para fás ou para nefas e fazer de nossa rotina algo novo para lembrar pela eternidade voraz.
Ela denota um desespero antiquado ou um respaldo alegre sobre a mesmice ou tolice da vida, nos coloca no pódio dos fracassados e no hall dos vitoriosos enquanto demonstra sua afeição a solidão ou a multidão.
A lágrima que não é sua, mas que em solidariedade ao amigo escorre com a mesma facilidade e tristeza da situação, sempre bem acompanhada de um abraço ou apenas um olhar de conforto e suavidade.
Serena lágrimas que descem a face pelo amor vivo que não encontra guarida, sentindo o calor dela e entendendo a dor e mazela que trás em seu ar cristalino e sobejo da despedida não pedida.
No decorrer ou melhor no ecoar da lágrima nos sentimos poetas livres para expressar perante a todos o latente e presente frescor da situação.
E assim como cada momento é único e não pode mais ser vivido, cadê lágrima tem sua forma e jamais volta para pálpebras e com ela escorrendo pela face sua história não será mesma, porém você nunca mais vai sentir aquela lágrima como naquele momento.

Rodrigo Bertolazzi
31/08/2009

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Empacou...


Me questiono a respeito do meu talento, não que ele seja um talento exuberante até o considero fortuito em demasia!
Quando as coisas vão mal, me parece mais fácil justificar as mazelas rotineiras e os problemas cabeludos, já quando o inverso acontece fica difícil justificar os sentimentos que ainda afligem meus pensamentos.
Já faz algum tempo que não consigo escrever com muita convicção sobre o que realmente tento dizer, mas continuo em minha nobre missão em tentar responder as dúvidas mais insanas e despropositais de minha mente.
Vejo, vasculho e insisto em buscar sentido ou sentimentos que possam brincar com minha criatividade e colocar para fora meus maiores medos e declarações.
Me sinto às vezes um terapeuta, mas na maioria das vezes me sinto um paciente, suplicando as paredes que abram espaço para que eu possa ser ouvido e compreendido por não saber o caminho certo a ser seguido.
Em meio a essa confusão, profetizo verdades e tento esquecer as mentiras que forma pregadas, tenho por péssimo hábito achar que ser menos, me favorece em estar menos evidente e mais protegido, por isso talvez encontre tamanha dificuldade em concretizar minhas relações.
Me ponho em frente este gélido e inocente teclado tentando expor minhas idéias de forma cronológica aos desapontamentos e acabo perdendo as futuras alegrias que estão por vir.
É complicado manter uma linha de raciocínio e falar sobre tudo que te incomoda a seu redor sem ser um pouco piegas, mais complicado ainda e falar sobre esse incômodo quando não se sabe ao certo a origem e cura dele.
Expresso por enigmas meus anseios e devaneios, singelos na maioria das vezes, alegres em partes, confusos na maioria, mas sempre com a esperança de uma resposta que me leve a algum lugar.
E assim vou levando ou pelo menos tentando me expressar em meio à loucura e sanidade, nem sempre sou lúcido, porém ninguém poderá dizer que sou totalmente louco.
O nome do blog é propício ao extremo, são coisas estranhas que só um idiota diz, algumas das quais só ele entende outras quiçá não sejam tão estranhas e por instante ele não seja tão idiota.

26/08/2009
Rodrigo Bertolazzi

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Coisas estranhas que só um idiota diz!


Nem sempre sou preciso ou esclareço de forma peculiar minhas idéias a respeito dos meus sentimentos e loucuras, penso até que em meio a basbaquices e muita poeira consigo de forma singular e singela em um ou outro ponto fazer acreditar que um dia eu chego lá.
Em meio aos sonhos insanos e até desesperados pela aprovação alheia ou até o encontro do meu ser, solto ao vento frases e enigmas, alguns servem de esperança as minhas pretensões e outros pensamentos são mera coincidência envaidecida pelo orgulho e rigor das situações que se apresentam.
Na esfera lógica, minha linha crescente de raciocínio e muita vezes incompreendida por eu mesmo, me trás a certeza de dúvidas, mas nunca a segurança de uma resposta concreta ou profetizada como a mais coerente entre as incoerências da vida.
O plágio é constante e não obstante encontro com seres que compartilham o mesmo sentimento, alguns de forma mais complexa, outros similares e somente com algo em comum entre estes, ninguém pensa igual sobre o mesmo assunto embora situações possam ser parecidas ou idênticas.
Tenho consciência da minha mutante e oprimida opinião sobre os fatos, acredito que isso ocorra a todos os que lêem este blog e aqueles que nunca vão conhece-lo, acredito que isso faça parte do amadurecimento que somos obrigados a sofrer conforme as primaveras se passam.
Às vezes me prendo a meu estado egocêntrico e raivoso para dar depoimentos sobre o que somente eu sei o que é, não estou falando dos problemas dos demais, narro a minha solidão, minha alegria, minha tristeza e às vezes minha felicidade.
Não considero poético, tão pouco profundo, apenas algo que alivia meu estado, não faço de minha profissão a escrita, talvez por isso devo cometer tantos erros ortográficos, não sento aqui e espero que as palavras combinem com o sentido da vida, tento fazer com que elas contem sobre a vida lhe dando algum sentido, pelo menos tento.
Coisas estranhas que só um idiota diz e a minha prece a minha evolução como ser humano, cheia de erros e desencontros, mas foi à forma que encontrei em tentar justificar meus erros e fazer as coisas de forma diferente e melhor, muitas vezes vou conseguir entender e aprender, outras vou funcionar com estúpido e ignorante sem saber ao certo o que diz.
Há vários blog´s que acompanho, uns eu me divirto, outros eu me encontro, mas creio que no final todos estejam buscando o mesmo que eu, discutir algo que não se sabe bem ao certo para que um dia encontremos nossas resposta mais tranquilamente!
Obrigado a todos que acompanham nesta jornada!

Rodrigo Betolazzi
19/08/2009

terça-feira, 18 de agosto de 2009

A carta que não foi mandada!


"Paris, outono de 73
Estou no nosso bar mais uma vez
E escrevo pra dizer
Que é a mesma taça e a mesma luz
Brilhando no champanhe em vários tons azuis
No espelho em frente eu sou mais um freguês
Um homem que já foi feliz, talvez
E vejo que em seu rosto correm lágrimas de dor
Saudades, certamente, de algum grande amor

Mas ao vê-lo assim tão triste e só
Sou eu que estou chorando
Lágrimas iguais
E, a vida é assim, o tempo passa
E fica relembrando
Canções do amor demais
Sim, será mais um, mais um qualquer
Que vem de vez em quando
E olha para trás
É, existe sempre uma mulher
Pra se ficar pensando
Nem sei... nem lembro mais"


Vinicius....

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

O que é felicidade?


Segundo nosso amigo e sábio dicionário Aurélio: s.f. Estado de perfeita satisfação íntima; ventura. / Beatitude; contentamento, grande alegria, euforia, grande satisfação. / Circunstância favorável, bom êxito, boa sorte, fortuna: ele teve a felicidade de escapar do desastre.
Estamos constantemente em busca dela e fugindo da tristeza que assola nossas histórias, nem sabemos ao certo o que significa, pois só é feliz aquele ser desprendido, aquele que não se incomoda com suas preferências nem com suas vestes, mas como julgar estar certo no que buscamos para ser feliz?
Quando alcançamos algum objetivo entramos em êxtase ao figurar no hall dos conquistadores, mas após a meta batida qual o próximo passo para conseguir perpetuar a felicidade? Às vezes me questiono sobre isto, será mesmo que a felicidade está ligada as realizações pessoais e as formas de se relacionar com demais em seu cotidiano?
Acho que não, talvez (e eu afirmo que esse talvez está tão em dúvida quanto seu sentido), um dia vamos conseguir ser feliz quando não estabelecer mais metas e não tentar cumprir com obrigações desgovernadas para satisfação do grande público que acompanha a sua trajetória.
Não que eu acredite que a aquisição de um imóvel novo, um automóvel ou até mesmo um amor bem sucedido não lhe traga satisfação, mas em contra partida alguma vez nos perguntamos se ao invés de estar atrás de um possante em meio ao caos do trânsito dos grandes centros urbanos estivéssemos caminhando em meio a árvores, deixando nossas idéias fluírem de forma que nossos problemas e dúvidas sejam resolvidos?
Ou então encontrar a felicidade na solidão do seu quarto, sem depender de uma outra pessoa para completar o sentido da vida. Projetamos nossa felicidade na realização e nos demais que à acompanham, necessitamos muito da aprovação para então desejar um tipo de felicidade, que às vezes é um momento de euforia e não a concretização da felicidade em si.
Busca, busca e mais busca, esse não é o caminho então vamos tentar ir por outro lado, não se sabe ao certo se vou atingir o alvo, os conceitos são abstratos demais e o percurso fica cada vez mais difícil.
Pensar positivo ajuda, mas esperar ao invés de ter esperança não te trás aos trilhos do trem, muito pelo contrário, podem te jogar para fora da estação.
Por isso, respondo com não tantas certezas e tão pouco incerteza... Felicidade é um mistério, quando você encontrar com ela, talvez descubra ou talvez passe despercebida e você desperdice a possibilidade de concretizar o sonho de ser feliz!
Não obstante o sonho da felicidade é uma dúvida cruel, pois como sonhar com algo que nem bem sabemos o que é? Desconhecida da maioria, o importante e nunca perder a fé... ela é um caminho bom a ser seguido em busca da felicidade!

Desejo a todos que encontrem a felicidade... Sempre em prol de um mundo melhor!!!

Rodrigo Bertolazzi
17/08/2009

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Celebration


Ao melhor estilo Confessions on a Dance Floor Madonna mais uma vez nos brinda com uma música pulsante e energética: Celebration, quente e no melhor estilo que ela nos odereçe... que o próximo álbum seja tão quente como essa canção!!!! Vamos celebrar!!!!!

think you wanna' come over, yeah I heard it through the grapevine
Eu acho que você quer chegar junto, yeah eu ouvi as pessoas comentarem

Are you drunk or you sober?
Você está bêbado ou sóbrio?
Think about it, doesn't matter
Pense nisso, mas não importa
and if it makes you feel good then I say do it,
Se te faz sentir bem, digo para fazer o que quiser
I don't know what you're waiting for
Não entendo o que você ainda está esperando

Feel my temperature rising
Sinta minha temperatura subindo
There's too much heat I'm gonna' lose control
O calor está insuportável, eu vou perder o controle
Do you want to go higher, get closer to the fire,
Você quer ir mais alto, chegar perto do fogo
I don't know what you're waiting for
Não entendo o que você ainda está esperando

Come join the party, yeah
Venha e entre na festa, yeah
Coz' everybody just won't do
Pois ninguém mais vai entrar
Let's get this started, yeah
Vamos começar a festa
Coz' everybody wants to party with you
Pois todo mundo quer ser divertir com você

Boy you got a reputation, but you're gonna' have to prove it
Cara, você tem uma reputação mas agora tem que me provar
I see a little hesitation,
Eu vejo um pouquinho de hesitação
Am I gonna' have to show you that if it feels right, get on your marks
Eu vou ter que te mostrar e se parecer certo, se posicione no seu lugar
Step to the beat boy that's what it's for
Entre no ritmo, cara, é pra isso que serve

Put your arms around me
Ponha seus braços ao meu redor
When it gets too hot we can go outside
Se ficar quente aqui dentro, podemos ir lá fora
But for now just come here, let me whisper in your ear
Mas agora venha aqui, deixe me sussurar no seu ouvido
An invitation to the dance tonight
É o convite para dançar a noite inteira

Come join the party, it's a celebration
Venha e entre na festa (é uma comemoração)
Anybody just won't do
Pois ninguém mais vai entrar
Let's get this started, no more hesitation
Vamos começar a festa (sem mais hesitações)
Coz' everybody wants to party with you
Pois todo mundo quer ser divertir com você

Haven't I seen you somewhere before?
Eu já não te vi antes em algum lugar?
You look familiar…
Você me parece familiar...
You wanna' dance? …Yeah
Tá afim de dançar? ...Yeah
I guess I just don't recognize you with your clothes on… (risos)
Eu acho que não te reconheço quando você está usando roupas... (risos)
What are you waiting for?
O que você está esperando?

Come join the party, it's a celebration
Venha e entre na festa (é uma comemoração)
Anybody just won't do
Pois ninguém mais vai entrar
Let's get this started, no more hesitation
Vamos começar a festa (sem mais hesitações)
Coz' everybody wants to party with you
Pois todo mundo quer ser divertir com você

Boy you've got it, it's a celebration
Venha e entre na festa (é uma comemoração)
Coz' anybody just won't do
Pois ninguém mais vai entrar
Let's get it started, no more hesitation
Vamos começar a festa (sem mais hesitações)
Coz' everybody wants to party with you
Pois todo mundo quer ser divertir com você

Boy you've got it, it's a celebration
Cara você é especial, é uma comemoração
Coz' anybody just won't do
Pois ninguém mais vai entrar
Let's get it started, no more hesitation
Vamos começar a festa (sem mais hesitações)
Coz' everybody wants to party with you
Pois todo mundo quer ser divertir com você

Créditos: www.madonnaonline.com.br

terça-feira, 28 de julho de 2009

Há Tempos!!!!


No silêncio da madrugada em meio à escuridão aterrorizante, percebo minha alma perdida na cegueira nefasta que sufoca e espalha a dor, dor esta, muito mais profunda do que um corte ou fratura, mas sim algo que toma o tempo e faz pensar e pesar.
O destino, guardião das horas, dos segundos e da vida põe a prova sua braveza e força de vontade para recuperar a alma perdida e a serenidade esquecida, fantasiando as virtudes almejadas nos escombros da vida.
O passado torna-se presente na busca constante do erro latente e pujante, as escolhas são mera indecisão e não coincidem com razão e sim com a emoção do tempo, não podendo mais se esconder nos mundos oníricos ou aliviados com comentários jocosos da árdua e tortuosa rotina.
Então penso no tempo e na imensidão de paz que ele nos traz, tempo para pensar, tempo para refletir, tempo para recuperar o fôlego perdido, a oportunidade rejeitada, tempo para que o ódio seja transformado em perdão e para que você seja perdoado também.
Tempo também bom às tragédias sufocantes ou até delirantes na nossa dramaticidade exagerada e inconsciente sobre os fatos que nos cercam, no meio da criminalidade vulgar, da estupidez geral e dos atos impensados, o tempo é o amigo que falta em nosso lar.
O tempo favorece as nossas idéias e permeia nossa mente, a tempos de alegria, complexos ou até infelizes, mas é o tempo que se alia as nossas necessidades e faz do ócio um tempo produtivo e eficaz a nosso olhos.
Só o tempo pode oferecer a você o espaço que precisa para ser o que quiser!

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Fumaçando a Vida....


Sentado na ponta da cama com a janela aberta e um céu nublado de um domingo chuvoso, entre uma tragada e outra dentro do meu quarto, puis me a pensar sobre os ciclos da vida. Assim como cada tragada, ao soltar a fumaça dos meus pulmões e joga-la ao vento tendo então destinadas e diferentes formas em momentos únicos.
Seu formato e seu ciclo não foram os mesmos em duas tragadas e nem serão os mesmo em um milhão delas, pois sua forma concede o momento e não se repete por mais parecido que o ato em si seja ou pareça ser.
Aquela fumaça me fez refletir sobre como circunstâncias parecidas tornam rumos prosaicos e distintos, mesmo direcionando o alvo, fatores externos como uma simples brisa momentânea muda a forma e a complexidade das coisas.
Assim como na vida que muitas vezes bem planejada e direcionada nos bate o vento nas costas e atordoa nossa percepção de certo ou errado ou do que pode ser e realizar do que você realmente quer.
Pensei também sobre as janelas da vida, que se abrem e fecham (sem querer ser muito piegas), muitas vezes no tempo exato que deve ser o ciclo acaba, ás vezes termina rápido demais e nos deixa desnorteados em meio a um deserto de solidão ou no mar de lamurias e decepções que nos são pregados ao longo da trajetórias.
Mas mesmo esses percalços e fechamentos abruptos que se dão sem esperar, nos abre inúmeras possibilidades sobre o que se pode ter esperança, seja na mudança de ares em uma nova cidade ou até antiga que lhe parecia provinciana e desnecessária a suas necessidades, seja término de um amor que foi importante até um certo período, mas que lhe da a vantagem de se apaixonar novamente e dar aquele primeiro beijo, seja com emprego dos seus sonhos que virou o pesadelo de sua realidade, seja com qualquer coisa na vida.
Quando refletimos sobre as circunstâncias da vida percebemos que nada é impossível, pois a cada janela fechada basta você querer que outras serão abertas e com uma visão periférica bem maior do que já estava habituado.
Os caminhos são quase sempre os mesmos, mas o contorno e a adaptação da alma depende apenas de você e de suas experiências para que tudo de certo, não sejamos fracos nem submissos a circunstâncias, pois podemos ser felizes com que temos ou realizados com que podemos ser e ter.

Rodrigo Bertolazzi
27/07/2009

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Lagoinha do Leste II






Essas fotos são do dia que nos fomos com sol e o tempo estava ótimo... desfrutamos várias horas nesse lugar mágico.

PS. coisas simples nos tornam mais felizes!